Leniel, pai do menino Henry Borel, lamenta decisão de soltar Monique e diz que não consegue parar de chorar: ‘Inacreditável’

Foi aceito pela justiça a decisão de que Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, fosse transferida para a prisão domiciliar e utilizasse tornozeleiras elétricas durante todo o momento.

Leniel, pai do menino Henry Borel, lamenta decisão de soltar Monique e diz que não consegue parar de chorar: ‘Inacreditável’

O caso do menino Henry Borel repercutiu muito no Brasil devido a tamanha crueldade. O menino Henry morreu aos 5 anos de idade, agredido pelo o seu próprio padrasto, Jairo Souza, mais conhecido como Jairinho e que atuava como vereador no Rio de Janeiro.

Monique sabia das agressões contra o próprio filho, mas não tomou nenhuma atitude para salvar o seu filho. Com isso, acabou sendo presa também.

Leniel Borel, pai do menino Henry, sempre se mostrou muito triste com a morte de sua criança e desejou que a justiça culpabilizasse Monique e Jairinho pelo o que fizeram com o filho dele.

Diante disso, ao saber da notícia que Monique foi liberada para a prisão doméstica, Leniel lamentou duramente, chegando a dizer que não consegue parar de chorar.

“É inacreditável essa decisão. Eu e o Brasil inteiro choramos hoje. Monique é tão culpada quanto o Jairo, merece pena até maior. Respeitamos a decisão judicial, mas vamos recorrer”, lamentou ele duramente.

A juíza defendeu a prisão domiciliar de Monique Medeiros por conta de ameaças que ela está sofrendo dentro da cadeia.

Além disso, ficou proibido que Monique utilizasse as redes sociais ou tivesse qualquer contato com testemunhas que estão envolvidas no processo.